Arquivo da tag: rap

Liberta o Pancadão – O Manual de Direitos do MC

Dia 19/12/2009 – lançamento da cartilha de direitos autorais do MC

Vai ter festa!!! É o nascimento de mais um fruto da parceria entre Movimento Direito Para Quem, Revista Virus Planetário e Associação dos Profissionais e Amigos do Funk!



A Cartilha “Liberta o Pancadão – O Manual de Direitos do MC”, que conscientiza o trabalhador do funk quanto a seus Direitos Autorais, vai ser lançada no sábado, dia 19/12/2009, a partir das 12h, em uma festa da APAFunk. O local para um evento de defesa de direitos não poderia ser mais apropriado: o Centro de Cultura Popular Mariana Criola, na brava ocupação Manoel Congo, no centro da cidade (endereço abaixo).

Esperamos todos lá! A entrada é franca e haverá comes e bebes a preços populares!

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

APAFUNK na Cidade de Deus

Olá galera, desde quando comecei a divulgar uma idéia chamada APAFUNK em todos os lugares possíveis, tenho acumulado momentos históricos de luta a cada dia que passa.

A Associação dos Profissionais e Amigos do Funk hoje é uma realidade, graças à união desses profissionais e de muito apoio de outros movimentos.

Esses outros movimentos envolvem mandatos parlamentares, sindicatos, movimentos estudantis e tantas outras organizações com quem vivemos aprendendo o tempo todo.

Muitas organizações nos procuram querendo saber como fazer pra nos ajudar e até mesmo aprender com a gente, peço desculpas para aquelas que não receberam resposta ainda, pois a coisa tá acontecendo em uma velocidade absurda e às vezes não damos conta de tanto compromisso.

Todos sabem que estamos defendendo a revogação da Lei Nº 5265/2008, e que o principal lugar pra fazer pressão pra tal revogação é a ALERJ. Lá está toda a nossa prioridade de tempo e compromisso.

Todos devem saber também que devemos informar a população o quanto essa Lei é prejudicial ao movimento Funk, e estamos fazendo isso através da nossa “RODA DE FUNK” que já rodou por Niterói, Acari, Rocinha, Morro do Dendê, Central do Brasil, etc.

Peço a todos os profissionais do Funk, organizações de toda parte, e principalmente todos os Funkeiros que querem saber o que está realmente acontecendo com este movimento, que compareçam no próximo domingo (14/06) às 14 horas na Cidade de Deus (Rua: GG nos APÊ) para mais uma manifestação política em favor do Funk.

Debate com Adriana Fascina (Antropóloga da UFF), Delegado Orlando Zaconne (Carceragem Cidadã), Deputado Estadual Marcelo Freixo e o músico Marcelo Yuka.

Sem nenhum tipo de diversão cultural na Cidade de Deus, por conta da ocupação policial naquela localidade, essa manifestação de domingo terá um debate que vai durar 2 horas (14h às 16h) e uma “RODA DE FUNK” que vai durar 6 horas (16h às 22h). Esse evento é o mais importante de todos os que já fizemos, por ser tratar de um dos lugares que concentra mais profissionais do Funk em todo o Rio de Janeiro, e que estão sendo impedidos de tocar, cantar e até ouvir o som que eles mesmos produzem.

Pra quem quer se chegar, CHEGOU A HORA!

Mc Leonardo

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

RADIO MUDA, MUDA?!

Por Mc Leonardo

sao-paulo-nov-2008-campus-unicamp-133 Em Novembro de 2008, fui convidado por Adriana Carvalho Lopes (doutoranda em Lingüística) para participar do PRIMEIRO ENCONTRO NACIONAL DE LINGUAGEM E IDENTIDADE na UNICAMP. Adorei tudo: a viagem, a Universidade, os debates, os debatedores e, no final, até dei um canja pra galera.

Na seqüência fui me misturar com os alunos e professores que ali estavam. Começamos a trocar idéias sobre a importância de se respeitar a pluralidade das linguagens. Naquele momento, eu defendia o movimento Funk, que apesar de estar em todos os cantos deste País, não tem a sua linguagem devidamente respeitada!

Fui interrompido por alguns alunos que me fizeram o convite de continuar o papo em uma rádio. Eu perguntei se era longe, pois eu iria visitar uma comunidade ali perto (maravilhosa, diga-se de passagem) e eles me disseram que tal rádio estava na nossa frente, dentro do campus.

Mais alguns passos e fiz outra pergunta: “Vocês avisaram pra alguém da rádio que iremos visitá-la?” E obtive a resposta de algum deles: “Nós somos a rádio e, dentro de alguns minutos, você irá comandar a RÁDIO MUDA o tempo que você quiser!”

Entrei na rádio dei boa noite aos ouvintes e continuamos o papo que estávamos tendo lá fora. Cantei e tive tempo de explicar minhas letras e minha batalha por um Funk que fale de maneira mais compromissada com os problemas das favelas.

A “extrema democracia” da RÁDIO MUDA só se exerce porque ela é totalmente descomprometida com os grandes lucros, com os interesses políticos neoliberais e com a intolerância religiosa, que, diga-se de passagem, são os pilares da maior parte dos meios de comunicação oficial. A RÁDIO MUDA É DE TODOS!!!

Saí daquela rádio com mais uma pergunta na mente: “Porque não se tem mais RÁDIO MUDA por aí?” Estamos em quase todos os meios de comunicação sem poder exercer nosso direito de expressão e de audição. O método de fazer programação da RADIO MUDA é difícil no mundo capitalista em que vivemos, por isso é que o governo tinha que regularizar esse tipo de comunicação.

Essa semana, recebi a informação que a Policia Federal arrombou a rádio e levou todos os equipamentos de lá. Lamentável, mas esperado, já que vivemos em um País que, há mais de um século, é comandado pelos mesmos donos de veículos de comunicação.

Resista RÁDIO MUDA, e conte comigo pro que der e vier, liberdade de expressão já!


Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Tamo junto numa só

Por Mc Leonardo

Essa é a frase que tem no rap de um amigo meu.
Na primeira vez que ouvi,
a sensação que me deu
era que o rap dizia tudo
o que a gente devia ouvir a todo momento
“Tamujunto numa só”, resume a infinidade
de coisas que na verdade
nos lembram uns ensinamentos.

“Sempre estarei contigo”, tá na sagrada escritura,
mas ainda tem no mundo,
um monte de criatura
que vive sem perceber
que só basta a gente crê
“Tamujunto numa só”.
No mesmo pique, no mesmo embalo
na mesma onda, no mesmo barco
na mesma estrada, no mesmo palco
na mesma luta, mesma labuta
E até na mesma praça.

Mesmo pó, mesma fumaça.
Até na mesma cachaça,
não importa o que tu faça
estaremos sempre juntos.
Na mesma igreja, no mesmo centro
com mesmo dom, mesmo talento
com o microfone ou com instrumento.
Não importa, pois até encarcerado
se tiver conectado, estará junto em pensamento.
Na mesma rede, na mesma praia,
na mesma areia do Sergio Naya
na mesma espera, da mesma laia.
Mesmas revoltas , mesmos canalhas
as mesmas frentes, mesmas batalhas,
no mesmo aplauso,
na mesma vaia.

Estamos interligados
na mesma crise, mesma falência
mesmas empresas em decadência.
Mesma coragem ou covardia,
seja de noite ou de dia.
Estaremos com alguém,
na mente ou no coração,
sangue ou consideração.
Na rua, no bar, no trem
na mesma maca, na mesma zona
na mesma escola, na mesma lona.
Mesma cidade, mesmo estado
mesmo país, mesmo calado
com megafone ou amordaçado
há sempre alguém do seu lado.

Por isso que em plena era
de choros, gritos e velas,
alimentação de guerras,
onde se canta e impera
a lei do “cada um no seu quadrado”,
nunca fico na pior.
Prefiro pensar assim,
como Mc Wandinho
“Tamujunto numa só”

5 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Estamos conectados

E iremos usar esse espaço para poder falar com os Funkeiros de toda as partes. Vamos falar de carreira, mostrar novos trabalhos, buscar contato para novos shows. Mas o principal motivo de termos um Blog é buscar um caminho pra divulgar todas as nossas opiniões sobre o preconceito que cerca nosso movimento ao longo de tantos anos.

Essa imagem é da 52ª DP em nova Iguaçu

Essa imagem é da 52ª DP em nova Iguaçu

TAMUJUNTOEMIXADO!!!!

Mc Leonardo

7 Comentários

Arquivado em Uncategorized